Todas as Noticias

Bem-estar: um dos atributos do portal Loopimóveis.com

Buscar Loopimóveis.com
Buscar Loopimóveis.com

Uma pesquisa especializada que é realizada anualmente pela consultoria Mercer sobre as cidades que proporcionam mais bem-estar aos seus cidadãos traz um ranking com 23 cidades, mas não estamos por lá, nem mesmo os Estados Unidos com Nova York..

Os requisitos para a escolha são qualidade de vida e isso é algo que tanto construtoras, quanto todos os envolvidos na cadeia imobiliária, além de engenheiros e especialistas nacionais começam a repensar.

O que significa morar neste ou naquele bairro? Tenho escola, acesso ao metrô, consigo trabalhar perto de casa, o quanto o morador está longe de sua família original ou de seus amigos? 

Entenda como acessar e o que poderá encontrar no Portal

O portal imobiliário Loopimóveis.com funciona hoje como uma verdadeira vitrine para construtoras de todos os portes, em quase 300 cidades por todo o país. Segundo um dos sócios-diretores da start-up, Ronnie Sang, as construtoras querem achar seus consumidores ou clientes e acertar com o perfil de imóvel em lançamento, mas não é fácil detectar quem e onde está possível comprador. “ É neste ponto exato que o nosso portal pode ajudar, porque selecionamos os leads e os colocamos em contato direto com os corretores, somos facilitadores para toda a cadeia imobiliária, com um valor de anúncio mais acessível e com resultados”, afirma o sócio-diretor.

Se o estilo de morar bem, mesmo sem estarmos ainda no ranking do bem-estar ou distante do Mediterrâneo, os brasileiros poderão navegar pelo portal imobiliário e encontrar ótimas saídas em muitas cidades como Santos, São José dos Campos, Jacareí e muitas outras que oferecem um modelo de 2 dormitórios, 1 vaga na garagem, opções com varanda gourmet e com metragem quadrada a partir de 70 metros. “ Hoje muitas construtoras que visitamos ainda estão sendo apresentadas ao ambiente on-line do portal, imagine o quanto ainda a Loopimóveris.com pode oferecer aos consumidores, quantos ainda podemos anunciar e tornar possível o morar em nossos tempos”, arremata Luiz Eduardo Perna, também sócio-proprietário da Loopimóveis.com.

Se ainda restam dúvidas sobre como acessar as opções do portal imobiliário e o quanto vale a pena ser um usuário, grandes players do setor como Even, Tecnisa e Rodobens estão apostando que sim, o portal é hoje a melhor forma de anúncio e associado à inteligência artificial será uma revolução na forma como veremos nossos atuais e futuros espaços para morar.

Todas as Noticias

Como anunciar imóvel na internet?

Já faz tempo que o mundo on-line passou a ser usado por pessoas com um objetivo bastante específico: comprar um imóvel. Ou seja, além de ser fonte de estudo, diversão e entretenimento, a internet se tornou hoje o principal meio de pesquisa para quem visa investir em negócios imobiliários.

Da mesma forma que é positiva para quem busca opções, a rede também dá oportunidades para quem quer vender/alugar um bem comercial ou residencial. Ficou interessado? Então veja, agora, como anunciar imóvel na internet e também dicas para não errar durante os processos de divulgação e negociação!

1. Vale a pena divulgar imóvel pela internet?

Com um número cada vez maior de pessoas conectadas, fazer negócios on-line sempre será uma boa alternativa. Se você quer vender ou alugar um imóvel, pode aproveitar as facilidades da rede na hora de preparar o anúncio, apresentar imagens e descrever cada detalhe do empreendimento.

O contato com diversas ferramentas e opções ilimitadas para a divulgação de bens são algumas das vantagens de quem escolhe anunciar imóvel na internet. Quer mais? Então confira todos os motivos para apostar nessa modalidade:

Ótimo custo-benefício

A internet possibilita a você criar diversos anúncios de imóveis em troca de pouco ou nenhum custo. Além de manter propostas diferenciadas em sites, é possível expandir a divulgação por meio de redes sociais, como o Facebook. Quanto mais diversificados forem os meios, maior a probabilidade de alcance de público.

Quem procura uma opção mais profissional ou simplesmente não quer se incomodar com a manutenção dos anúncios, pode contar com o serviço de portais imobiliários específicos. O custo envolvido varia de acordo com o tipo de anunciante, mas é muito baixo quando comparado com despesas geradas em anúncios da mídia convencional.

Comunicação interativa

Antes da divulgação on-line se popularizar, a maioria das imobiliárias e proprietários de imóveis precisavam investir em anúncios de jornais, catálogos e revistas. O problema é que esses recursos tinham um espaço muito limitado para a apresentação do empreendimento e de seus diferenciais, o que prejudicava o entendimento por parte das pessoas interessadas na negociação.

Com a possibilidade de anunciar na internet, muita gente passou a fornecer imagens e descrever imóveis nos mínimos detalhes. Essa apresentação de alta qualidade é hoje o principal recurso utilizado para atrair a atenção de qualquer perfil de consumidor. Para completar os benefícios, a rede ainda permite que os anúncios sejam organizados dentro de uma estratégia que tenha como objetivo atingir um público específico.

Agilidade e praticidade

Com a ajuda de um computador, tablet ou smartphone, qualquer pessoa pode fazer pesquisas em sites sem o intermédio de um corretor imobiliário. Essa condição é atrativa para muita gente que dispõe de pouco tempo ou não quer se dirigir até uma imobiliária para analisar as opções de imóveis.

Com a possibilidade de buscar e comparar anúncios a um único clique ou toque, tanto anunciante quanto comprador em potencial economizam tempo valioso na rotina. Além do mais, o contato para uma possível negociação entre as partes é muito mais simples e rápido quando feito no ambiente on-line.

Diminuição dos riscos

A internet também traz praticidade para incluir ou remover um anúncio do ar sempre que necessário. Isso permite a você fazer diferentes testes para verificar o que funciona e o que é descartável na sua estratégia. Considere que realizar esse mesmo processo na mídia convencional aumentaria muito o risco de erros e geraria um alto desperdício de recursos.

Maior alcance de público

A ausência de barreiras geográficas faz com que muito mais pessoas tenham acesso ao seu anúncio na internet. Por exemplo: se optasse por divulgar um imóvel somente na mídia impressa, você limitaria o acesso das informações a pessoas de determinada região ou localidade.

Em um portal de anúncios on-line essa situação muda, afinal, qualquer pessoa no mundo pode encontrar seu imóvel na rede. Além de levar suas propostas a qualquer lugar, a internet também garante que os anúncios fiquem disponíveis para o público a qualquer momento.

Ou seja, um comprador em potencial pode acessar o site durante as 24 horas de cada dia do mês, incluindo os feriados e finais de semana. Essa conveniência toda é extremamente positiva e aumenta as chances de um contato para negociação. 

2. Como anunciar imóvel na internet?

Se você acha que o lançamento de alguns dados e fotos é suficiente para um bom anúncio, está muito enganado. Hoje, qualquer trabalho para divulgação on-line deve conter elementos específicos para que determinado anúncio se destaque entre tantos outros. Para te ajudar, listamos dicas importantes para ter bons resultados na internet:

Capriche na apresentação

Quando o assunto é compra e venda, os produtos e serviços bem apresentados são sempre preferência dos consumidores. Leve esse pensamento na hora de anunciar seus imóveis: invista em uma apresentação organizada e padronizada, composta de imagens nítidas e descrições completas.

Se possível, procure adicionar vídeos à apresentação do seu anúncio. Os recursos visuais e interativos são ótimos para prender a atenção do visitante e, de quebra, contribuem para o entendimento geral da proposta. Tome o cuidado de limpar e organizar os ambientes do imóvel para obter imagens atrativas e com aparência profissional.

Descreva a localização em detalhes

A localização do imóvel é fator determinante para a decisão de quem tem interesse em uma negociação de compra. Sabendo disso, dê atenção especial na hora de descrever as características da região onde o empreendimento se insere. Uma dica interessante é começar detalhando aspectos gerais da cidade e do bairro para, então, falar da rua do imóvel e seu entorno imediato.

Você ainda pode agregar itens extras ao anúncio para valorizar a oportunidade de negócio. Para isso, cite pontos positivos na forma de estabelecimentos de comércio e serviços, como shoppings, supermercados, farmácias e padarias. Não deixe de verificar a descrição do endereço para se certificar de que não se esqueceu de dados importantes.

Destaque todos os diferenciais do imóvel

Muitas pessoas desistem de uma oportunidade de negócio aparentemente boa por falta de informações relevantes. Para não fazer parte dessa estatística, é fundamental que você mostre todos os potenciais do imóvel para quem ainda não o conhece.

Comece montando frases descritivas sobre cada ambiente, incluindo as áreas internas e externas. Dados como metragem dos cômodos, quantidade de quartos, vagas de garagem e valor de IPTU podem ser valiosos para o visitante e, portanto, devem ser fornecidos sempre que possível.

Para finalizar, destaque alguns diferenciais que possam agregar valor ao seu imóvel. Um exemplo é citar a presença de uma varanda ampla, área de piscina ou até mesmo de reformas realizadas na edificação. 

Compartilhe o anúncio nas redes sociais

As redes sociais são poderosos meios de divulgação para seus anúncios de imóveis. Ou seja, além de publicar em site próprio ou em um portal imobiliário, você também pode compartilhar fotos e descrições a diversos contatos presentes em canais como o Twitter e Facebook.

A vantagem dessa solução está justamente nas ferramentas de compartilhamento, que permitem que o anúncio seja levado até para pessoas que não fazem parte da sua rede de contatos. A possibilidade de marcar nomes também é valiosa e contribui para a ampliação do alcance.

Use imagens de qualidade

Registros fotográficos são fundamentais para qualquer divulgação de empreendimento. Incrivelmente, muitas pessoas ainda pecam com imagens ruins ou até mesmo deixam o anúncio sem qualquer foto. Para não achar que é exagero, experimente se colocar no lugar do visitante e perceba como é angustiante não dispor de uma prévia do imóvel.

A desculpa de que não possui uma máquina profissional também não é válida nos dias de hoje, afinal, qualquer celular básico já vem com câmera embutida. Uma dica valiosa é tirar fotos em dias de sol para que a luz natural favoreça os detalhes. Na hora de publicar, selecione sempre a melhor resolução permitida pelo site.

Defina um preço justo

Imóveis divulgados com um preço acima do que é praticado no mercado dificilmente são incluídos na lista dos compradores. Para evitar que seu anúncio fique parado na rede, é importante fazer uma avaliação prévia dos valores cobrados em empreendimentos semelhantes. Essa etapa pode ser executada com o apoio de um profissional que tenha experiência no assunto e que ajude a determinar preços atrativos.

Para fazer valer todas essas dicas, é essencial que você atenda prontamente cada contato realizado pelas pessoas interessadas na compra. A agilidade de resposta vai evitar desistências e frustrações ao longo da negociação.

3. Como negociar um imóvel? 

Muita gente não conhece os procedimentos exigidos em uma negociação imobiliária. Felizmente, é possível encarar esse processo com mais tranquilidade se você dispuser de paciência na hora de procurar informações e orientação profissional.

Com o objetivo de ajudar pessoas em diferentes situações, separamos dicas e cuidados que devem ser tomados no momento de vender ou comprar um imóvel. Acompanhe:

3.1 Dicas para quem quer vender

Anuncie em portais

Falando de divulgação on-line, não poderíamos deixar de destacar a importância do anúncio em portais imobiliários. Diferente dos espaços reservados em jornais e dos catálogos mantidos na imobiliária, essa solução vai garantir amplo alcance e acesso nas suas propostas de negócio.

Além da praticidade, o anúncio feito em portal se torna uma alternativa mais econômica para quem pretende vender imóvel com agilidade. Nesse processo, o vendedor não precisa arcar com custos tradicionais, como a comissão para corretor ou porcentagem do valor de venda para a imobiliária.

Tenha a documentação em dia

A vistoria é um dos primeiros passos executados por compradores após contato com o proprietário do imóvel. Esse processo exige a apresentação da documentação completa do bem; logo, é imprescindível que esses arquivos estejam todos em dia e livres de pendências ou inadimplência.

Se você pretende vender e ainda possui dívidas em atraso, deve buscar resolver a situação o quanto antes para evitar o afastamento de possíveis compradores. Enquanto a negociação estiver limpa e afastada de pontos negativos, as chances de venda se mantêm altas.

Prepare o imóvel para visita

Aproveite que as visitas são agendadas para organizar o imóvel e deixá-lo impecável para os compradores. Se algum ambiente possui danos ou detalhes problemáticos, vale investir em serviços de reparo para melhorar a aparência dos acabamentos, estruturas e elementos decorativos.

As reformas no imóvel não devem ter como objetivo a personalização dos espaços, afinal, muitas das mudanças podem custar caro e não representarem grande diferencial para o comprador. Procure se atentar a trabalhos de pintura, conserto de aberturas e possíveis defeitos nas instalações.

Imóveis com quintal ou jardim devem ser preparados com o corte da grama e eliminação de lixos ou entulhos. Se o local for ocupado por um inquilino, a dica é esconder itens e objetos pessoais antes da visita para evitar conclusões errôneas dos compradores.

Flexibilize os processos

Vendedores mais flexíveis tendem a apresentar sucesso nas negociações imobiliárias. Essa postura é valiosa especialmente quando a concorrência está alta no mercado. Para colocar em prática, você pode, por exemplo, facilitar as formas de pagamento ou aceitar parcelamentos no processo de compra.

Outra forma de facilitar a transação é permitir a visitação em momentos alternativos, como horários antes ou após o expediente e finais de semana. O atendimento fora de horário comercial é positivo e mostra comprometimento com a satisfação do comprador.

Seja acessível

Não há nada pior do que a relação entre um comprador interessado e um vendedor indisponível. Portanto, se você colocou um anúncio na internet, deve estar preparado para receber ligações e mensagens a qualquer momento.

É claro que nem sempre dá para responder um contato no mesmo instante em que foi feito. Nesses casos, procure retornar a mensagem ou telefonema logo que possível. Desse modo, você demonstra profissionalismo e real interesse na negociação.

3.2 Dicas para quem quer comprar

Pesquise muito

A pesquisa é uma das etapas mais interessantes do processo de compra de imóvel. É nesse momento que você vai conferir uma série de opções para comparar preços e condições de pagamento. 

Antes de escolher o anúncio preferido, pesquise também sobre as características das diversas modalidades de financiamento imobiliário. Assim, você aumenta as chances de encontrar uma oportunidade que se encaixe no perfil econômico e necessidades da família.

Contenha a empolgação

A empolgação para a compra do imóvel é uma sensação comum a muitas pessoas, mas pode vir a se tornar um problema durante a negociação. Isso porque, ao demonstrar grande interesse logo de cara, o comprador acaba dando bons motivos para o vendedor aumentar o preço do bem.

Se não quiser ser enganado, a dica é evitar o excesso de entusiasmo. Pense que conter as emoções também vai te ajudar a tomar decisões mais coerentes e adequadas à realidade.

Solicite descontos

Muitos vendedores sabem que é preciso ser flexível na negociação. E é claro que você pode aproveitar essa caraterística para pedir descontos na compra do imóvel. Muitas vezes, o anúncio já é divulgado com um preço um pouco acima justamente para facilitar as discussões e mudanças na forma de pagamento.

Visite o imóvel e seu entorno

Anúncios com imagens de qualidade são capazes de mostrar diferentes pontos do imóvel. Mesmo assim, vale lembrar que nada substitui uma visita ao local quando você tem interesse real pela compra.

Vendo o imóvel de perto, você consegue perceber o comportamento da luz do sol nos diferentes cômodos, a predominância dos ventos e presença de sombra. Além disso, pode analisar detalhes dos acabamentos e condição da estrutura presente na edificação.

Se possível, agende visitas em diferentes horários para observar também o perfil da vizinhança, presença de ruídos, iluminação e movimento da rua em cada período.

Avalie os documentos do bem

Após decidir sobre um anúncio, verifique a documentação completa do imóvel para se certificar de que não possui dívidas ou problemas na justiça. A presença de um advogado de confiança pode ser de grande ajuda para evitar prejuízos e o envolvimento com negociações duvidosas.

Faça uma vistoria

Valorizada nos contratos de locação, a vistoria também é uma ferramenta valiosa no processo de compra de imóvel. Isso porque, caso o futuro proprietário encontre algum defeito ou problema na edificação, ele pode solicitar o devido reparo e destinar os custos desse serviço para o vendedor do imóvel.

Aproveite o máximo desse recurso na hora de avaliar cada ambiente da nova casa ou apartamento. Se quiser ter sucesso e não esquecer nada, escolha um dia e horário tranquilo para fazer o processo por completo.

4. Quais são os erros que prejudicam meu anúncio?

Mesmo dispondo de todas as vantagens da internet, algumas pessoas ainda encontram dificuldade na hora de obter propostas para a compra de imóvel. Parte desse problema pode estar na escolha incorreta dos elementos utilizados em cada anúncio. Confira os principais erros que prejudicam os resultados da sua divulgação on-line:

Uso dos mesmos recursos de anúncios impressos

O ambiente, linguagem e recursos do mundo on-line são totalmente diferentes daqueles presentes nas mídias convencionais. É por isso que as chances de falha são grandes quando você tenta incluir as mesmas estratégias da publicidade impressa nos anúncios que serão mantidos na internet.

Para facilitar, use sempre uma linguagem clara e direta quando for se dirigir ao público on-line. Aproveite os botões e ferramentas de filtro para facilitar a leitura e a pesquisa das pessoas interessadas em compra de imóvel. Quanto mais simples e dinâmica for a comunicação, maior a probabilidade de receber propostas de negócio.

Divulgação de informações desatualizadas

Nenhum comprador quer investir em um bem que não condiz com as especificações colocadas pelo anunciante. É pensando nisso que você deve cuidado para não divulgar imóveis a partir de informações e fotos desatualizadas.

Quando isso ocorre, a pessoa interessada no anúncio pode desistir de qualquer outra proposta criada por você, afinal, encontrou no site um negócio que não existia mais ou que é totalmente diferente da realidade atual. 

Faça a diferença e atualize cada foto ou descrição sempre que houver alguma mudança nas condições do imóvel ou na forma de negociação. Dessa forma, você manterá uma imagem confiável e merecedora da atenção do público.

Imagens irrelevantes ou de baixa qualidade

Quem procura um imóvel para compra sempre vai estar atento a cada detalhe da construção e de seu entorno. Pensando nisso, é fundamental que você invista em fotos diversificadas, ou seja, que mostrem o imóvel a partir de diferentes ângulos e lugares.

Quanto mais variado for o álbum de imagens, mais fácil para o público entender e se encantar com o anúncio. Não se esqueça também da condição das fotos, afinal, todas precisam ser nítidas para impressionar o visitante. A vantagem é que qualquer smartphone básico já permite que você faça capturas com boa qualidade.

Excesso de adjetivos ou frases de efeito

O uso de adjetivos é comum na hora de intensificar qualidades de qualquer imóvel. O problema ocorre quando essa prática se torna frequente nos anúncios, tornando as descrições exageradas e até mesmo cansativas.

Evite as frases de efeito e os clichês sempre que possível. Para algumas pessoas, esses recursos dão a impressão de que sua proposta é enganosa ou confusa. Se quiser uma opção segura, a dica é se limitar aos verdadeiros destaques e diferenciais do imóvel, bem como os dados para contato e formas de negociação.

Poucas opções para contato

Ligações telefônicas e mensagens de e-mail estão entre os principais meios de contato usados para negociar um imóvel. Ainda assim, é preciso considerar que muitas pessoas já migraram para outros canais de comunicação e, por esse motivo, também tendem a buscar oportunidades de compra através dessas opções.

Dica: diversifique as formas de contato para garantir retorno rápido aos seus visitantes. Nos dias de hoje, fornecer um número de celular para contato via SMS ou WhatsApp pode ser um baita diferencial para o seu anúncio. Apenas lembre-se de manter todos esses dados atualizados para que o público não fique na espera de uma resposta.

Como deu para perceber, anunciar imóvel na internet pode ser mais rápido e econômico do que qualquer outra forma de divulgação. Só tome cuidado para que a simplicidade desse processo não desestimule o seu esforço; afinal, é preciso ter cuidado com cada detalhe da proposta para que as decisões sejam transformadas em resultado.

Quer saber mais sobre os processos de divulgação on-line? Entre em contato conosco e veja as opções para criar seu próprio anúncio!

Todas as Noticias

Como conseguir um fiador para alugar imóveis?

Se você está pensando em alugar um imóvel, provavelmente já se deparou com o termo “fiador” em suas pesquisas, certo? Talvez você também saiba que conseguir um fiador é uma das grandes preocupações do inquilino, afinal, o processo pode ser moroso e desgastante.

No entanto, será que você sabe o que é um fiador e como funciona o aluguel de imóveis usando fiadores como garantia? No post de hoje explicaremos mais sobre esse tipo de garantia locatícia, daremos dicas para conseguir um fiador e também mostraremos algumas alternativas para alugar seu próximo imóvel!

Confira!

O que é um fiador e quem pode ser um?

Um fiador é uma pessoa física ou jurídica que assegura o pagamento do inquilino em um contrato de locação de imóvel. Ou seja, o fiador garante que, caso o inquilino não pague o aluguel por qualquer motivo, o proprietário não deixará de receber, já que ele assumirá a dívida. Por ser a garantia locatícia menos onerosa, é hoje a mais usada no Brasil.

A maioria das imobiliárias exige dois fiadores, normalmente da mesma cidade onde se encontra o imóvel a ser locado, e um deles deve ter um patrimônio — preferencialmente, um imóvel.

No caso de pessoas físicas, é exigido que a renda do fiador seja de, pelo menos, três vezes o valor do aluguel mensal, acrescido de encargos (IPTU e condomínio). No caso de pessoas jurídicas, também é necessário que o contrato social permita que a empresa seja fiadora. Ademais, somente os sócios poderão assinar o contrato de locação.

Como conseguir fiador?

Um fiador assume uma grande responsabilidade ao assinar um contrato de locação e, por isso, é recomendado que seja uma pessoa próxima e confiável. Vale lembrar que o fiador também depositará grande confiança em você ao aceitar ser a sua garantia de pagamento.

A primeira opção é consultar entre os familiares mais próximos — pais, tios e primos — para depois partir para amigos ou colegas de trabalho.  Você deve verificar quem aceitaria ser seu fiador e checar se essa pessoa cumpre as exigências que citamos acima.

É interessante mostrar ao potencial fiador que você honrará seus compromissos como inquilino, usando os comprovantes de renda fixa e outros atestados de estabilidade financeira. A última opção e a menos recomendada é contratar um fiador profissional, que cobrará taxas altas para assinar o contrato e poderá não ser tão confiável.

Como é o processo de locação usando fiadores?

Após escolher o imóvel e acordar o valor com o proprietário por meio de uma imobiliária de confiança, você deverá conferir se os fiadores cumprem as exigências mencionadas e se possuem a renda necessária — três vezes o valor do aluguel mais encargos.

Em seguida, você deverá apresentar toda a documentação das partes, fazendo um dossiê que contenha os seus documentos, os de quem morará com você, e os documentos de todos os fiadores.

As chamadas fichas cadastrais — que contêm todos os dados daqueles que assinarão o contrato — serão analisadas para que seja avaliada a saúde financeira dos envolvidos (é verificado se não há processos ou dívidas, por exemplo) e uma resposta será dada aos proponentes em alguns dias úteis.

Se tudo estiver certo, o contrato poderá ser assinado e será agendada uma data para a entrega das chaves. Se alguma ficha não for aprovada, não se preocupe, você poderá apresentar novos documentos ou até mesmo novos fiadores para garantir o negócio.

Quais são os documentos necessários?

Os documentos exigidos dos fiadores pessoa física são os listados abaixo. Vale lembrar que, em caso de fiadores casados, o cônjuge também deverá assinar o contrato e apresentar os mesmos documentos. São eles:

  • RG ou CPF;

  • comprovante de residência;

  • última declaração do Imposto de Renda;

  • comprovante de renda (que prove ser superior a três vezes o valor do aluguel e encargos);

  • comprovante de estado civil (certidões de nascimento, casamento, separação).

O fiador que possui imóvel também deverá apresentar uma cópia da matrícula atualizada do mesmo. Os documentos exigidos da pessoa jurídica são:

  • CNPJ, Inscrição Estadual;

  • contrato social e última alteração (deverá permitir que a empresa seja fiadora);

  • comprovante de endereço;

  • documento de identidade e comprovante de residência dos sócios;

  • última declaração do Imposto de Renda;

  • último balanço;

  • dois últimos balancetes;

  • comprovação de bens (imóveis ou veículos), se houver.

Quais são as alternativas para quem não tem fiador?

Se você não conseguiu um fiador, existem outras garantias para alugar o imóvel pretendido. Veja quais são elas:

Seguro-fiança

Atualmente, essa é a segunda garantia mais utilizada no Brasil, graças à facilidade de contratação, às vantagens para o proprietário e ao valor — inferior às opções que citaremos abaixo. O seguro-fiança funciona como um fiador, mas quem assume a dívida do inquilino é uma seguradora.

Habitualmente, o valor anual cobrado corresponde a uma ou duas vezes o valor do aluguel, mas a maioria das seguradoras oferece parcelamento e outras vantagens — como assistência residencial gratuita. Você verá que essa opção é menos dispendiosa que as outras, mas é importante lembrar que nada será devolvido ao final do contrato.

Título de capitalização

O título de capitalização também funciona como um seguro e, apesar de ser mais caro que o seguro-fiança, o dinheiro pode ser recuperado ao final do contrato de locação. O valor da caução (ou da garantia) deve ser negociado diretamente com o proprietário e, normalmente, fica entre 6 e 12 aluguéis.

Como o montante deve ser pago à vista, essa se tornando a alternativa menos utilizada pelos inquilinos. Ainda assim, existem vantagens: a facilidade de contratação (não é preciso comprovar renda), a assistência residencial gratuita, o sorteio de prêmios em dinheiro feito por algumas seguradoras e o fato de que o valor é devolvido com correção no fim do contrato.

Depósito caução

Por último, uma forma simples de garantir o aluguel é fazer um depósito caução, pagando ao proprietário o equivalente a três aluguéis no início do contrato. Dessa forma, você cobrirá alguns riscos e, caso corra tudo bem até o fim da locação, receberá o valor de volta.

O que acontece caso você fique inadimplente?

Caso algo aconteça e você não consiga honrar o compromisso firmado no contrato de aluguel, o proprietário recorrerá à garantia escolhida. Caso você tenha fiadores, eles poderão ser acionados pelo proprietário após 10 dias de atraso no pagamento para que quitem o valor imediatamente.

É importante lembrar que os fiadores assumirão a dívida do inquilino. Caso eles também não consigam honrá-la, seu patrimônio pode até ser penhorado.

Para o seguro-fiança, a seguradora pode ser acionada quando houver inadimplência superior a dois meses. Depois de quitar a dívida, ela entrará em contato com o inquilino para fazer o acerto, podendo levá-lo à justiça caso não seja feito o pagamento.

No título de capitalização, o proprietário poderá solicitar o resgate do valor após dois meses de inadimplência. Em seguida, poderá acionar a justiça caso não chegue em um acordo com o inquilino, dando entrada a uma ação de despejo.

Como você pôde ver, os fiadores são a forma mais interessante de garantir uma locação, já que não exigem investimento inicial e não geram muita burocracia para as partes envolvidas. No entanto, como dissemos, é necessário que haja confiança mútua entre inquilinos e fiadores, já esse compromisso é uma responsabilidade.

E então, o que você achou deste texto? Ainda restou alguma dúvida sobre como conseguir fiador? Deixe um comentário!

Todas as Noticias

Construir, comprar ou alugar um imóvel? Entenda o que vale a pena

Ter o cantinho próprio da sua família é o sonho de qualquer um. Morar em um lugar que comporte todos confortavelmente e atenda às necessidades da família realmente é uma conquista que não tem preço.

Mas para que essa conquista venha sem grandes problemas, é preciso pesquisar e dedicar um tempo do seu dia a entender as opções disponíveis para realizar esse sonho e quais são os processos no meio do caminho.

Existem 3 opções principais, cada uma com suas especificidades: construir, comprar ou alugar um imóvel. A verdade é que não existe uma escolha certa, mas aquela que melhor servirá para o seu caso.

Para ajudar você a fazer a melhor escolha, selecionamos algumas informações que você precisa saber sobre essas 3 alternativas e quais são os primeiros passos de cada uma delas. Acompanhe conosco e descubra o que é o ideal para a sua família!

Para quem pensa em construir uma casa

Seja qual for sua opção, é preciso ter em mente que ela terá vantagens e desvantagens. Cada uma será indicada para um perfil de pessoa, por isso, depois de apresentarmos os benefícios e malefícios, vamos apontar o perfil e os próximos passos caso você ache que essa é a melhor escolha para o seu caso. Começando por construir uma casa.

Vantagens de construir um imóvel

As vantagens de construir o próprio imóvel são muitas. Para começar, como é de se esperar, ao construir seu próprio lar você terá um imóvel totalmente adaptado às suas necessidades e às de sua família.

Isso porque você terá completa autonomia durante o projeto, podendo escolher todos os detalhes da casa de acordo com aquilo que você sempre sonhou. Você poderá pensar, por exemplo, no número ideal de quartos (tem filhos? Quantos pretende ter? Mais alguém vai morar com a família?), número de banheiros para atender confortavelmente todos, no tipo de cozinha (americana, com ilha no centro ou outra), na área de lazer ideal para você, entre outras coisas.

As opções para construir uma casa e deixá-la com a sua cara são infinitas, tudo vai depender da sua criatividade, disponibilidade e, claro, do seu bolso.

Se você sempre pensou que construir é mais caro, está bem enganado. Construir é mais barato do que comprar, visto que no custo de um imóvel pronto estará sempre embutido o valor de lucro de quem fez a construção dele. Portanto, ao construir, seu dinheiro também será bem investido em um patrimônio seu.

Desvantagens de construir um imóvel

Alguns dos problemas de construir estão relacionados à localização, ao tempo de espera até poder desfrutar do lugar e ao gerenciamento da obra.

Encontrar a localização ideal no caso de uma construção pode ser difícil. Se você quer algo perto do trabalho, será um pouco mais complicado, visto que os melhores lotes disponíveis geralmente estão localizados no subúrbio dos grandes centros.

Construir um imóvel também pode demorar certo tempo e se você tiver em urgência em mudar, essa definitivamente não será a melhor opção. A obra de uma nova casa pode durar entre 6 e 10 meses, sem contar o tempo pesquisando o terreno ideal.

Por último, não é todo mundo que está disposto a lidar com arquitetos, engenheiros, construtoras e todo o estresse envolvido no gerenciamento de uma obra. Por mais planejamento que você faça, sempre estará sujeito a imprevistos, e nem todo mundo está disposto a passar por isso.

Para quem é indicado

Construir uma casa é indicado para quem sempre sonhou com um espaço personalizado e feito especialmente para sua família, quer se afastar um pouco dos grandes centros e não possui urgência para mudar.

Como começar

Como falamos, construir uma casa é o processo que mais vai tomar tempo e energia de você. O resultado pode ser muito compensatório, é claro, mas é preciso se dedicar para que o sonho não acabe virando pesadelo.

O primeiro passo é pesquisar por um lote. Essa pesquisa pode ser auxiliada por um engenheiro ou arquiteto da sua confiança. Nessa hora, você deverá analisar características como tamanho, desnível, proporções, tipo de solo e localização, pois são itens que vão influenciar diretamente na construção que poderá ser feita.

Após a escolha do lote, você deverá possuir a escritura e o registro, além de contratar um arquiteto ou engenheiro para desenhar o projeto. O próprio profissional poderá auxiliar você com toda a documentação necessária para aprovar a obra e conseguir a autorização junto à prefeitura da cidade.

Em seguida, é o momento de contratar a mão de obra. Aqui é preciso cuidado, principalmente na hora de decidir as formas de pagamento. Você pode pagar sua mão de obra por dia trabalhado, por etapa da obra ou um preço fechado pelo projeto.

Há quem prefira contratar uma empresa construtora em vez de um construtor particular — o famoso pedreiro. A construtora será mais cara, mas possui a vantagem de realizar a obra em menos tempo e diminuir o trabalho que você terá com o gerenciamento dela. Lembre-se de fazer contrato para tudo e não se basear somente em acordos verbais.

Assim como para comprar um imóvel, você poderá financiar parte do valor para arcar com os custos da construção. Nesse caso, deve ser um financiamento de crédito imobiliário para construção.

Você já deverá estar de posse de toda a documentação do terreno para conseguir esse tipo de financiamento e apresentar todos os dados do projeto para a instituição financeira na qual for solicitá-lo. Uma das vantagens é que você só começa a pagar o financiamento após a finalização da construção.

Seja qual for sua escolha, pesquise bem antes de começar. A construção de uma casa pode ser um processo complexo, mas com calma e dedicação você terá em mãos um imóvel feito sob medida para a sua família.

Para quem quer apenas alugar

Alugar pode ser uma boa saída, principalmente para quem procura um local para acomodar a família no curto ou no médio prazo e ainda não possui uma quantia ideal para investir em algo próprio.

Vantagens do aluguel de imóvel

O aluguel não implica em um compromisso longo, ou seja, se você viaja muito ou tem a possibilidade de mudar de cidade ou mesmo de trabalho, essa também é uma ótima opção devido à facilidade com que você poderá trocar de imóvel.

Quando você aluga um imóvel, qualquer reparo na propriedade é de responsabilidade do locador, ou seja, você não terá gastos com manutenções, só devendo solicitar ao dono do lugar quando elas forem necessárias.

Existe mais facilidade de achar um apartamento ou uma casa no bairro que você deseja, além dos trâmites burocráticos, apesar de ainda existirem, serem mais simples. Você não precisará se preocupar com financiamentos nem com as várias documentações envolvidas em uma construção ou compra de imóvel.

No caso do aluguel é interessante optar por móveis que podem ser retirados do local e reutilizados em um novo ambiente. Aposte em objetos decorativos para deixar o espaço com um ar mais pessoal. A principal sacada é fazer uma análise do tempo de permanência e do investimento em decoração para saber até onde ir sem ter que se desfazer de muita coisa depois!

Desvantagens do aluguel de imóvel

Algumas das desvantagens de morar de aluguel estão ligadas às questões financeiras. Esse é um dinheiro que você não vai ver de novo e que não será investido em um patrimônio seu, então vale pensar se compensa mesmo alugar.

Mas há quem ainda considere o aluguel uma opção mais barata, visto que os juros de um financiamento podem ser bem altos, principalmente no caso de quem tem pouca ou nenhuma quantia para dar de entrada em uma compra.

Outro problema pode ser a falta de personalização. Você terá que mudar para um imóvel já pronto onde não terá tanta autonomia de fazer mudanças. Toda e qualquer reforma deve passar pelo crivo do locador e você pode não conseguir convencê-lo de fazer as mudanças que achar necessárias.

No entanto, é possível deixar um imóvel com a sua cara mudando somente a decoração e investindo em itens que não são permanentes e que você poderá levar consigo caso troque de casa ou de apartamento.

Para quem é indicado

Para pessoas que não possuem um alto valor para investir no momento e têm urgência de mudar ou possuem um estilo de vida mais flexível.

Como começar

O primeiro passo para alugar um imóvel é pesquisar. São muitas as opções disponíveis e pode levar um tempo até que você ache aquela que considera ideal. Antes de fazer a escolha, avalie o imóvel quanto ao tempo de construção, as redes hidráulica e elétrica, o nível de barulho da rua e qualquer outro detalhe que possa vir a causar problemas no futuro.

Para alugar você vai precisar de fiadores. Geralmente, é preciso de um com imóvel em próprio nome no mesmo estado do local que você deseja alugar e renda equivalente a três vezes o valor do aluguel, e outro somente com a renda.

Também há a opção de seguro fiança, em que você paga um valor como um seguro de um carro e não precisa apresentar os fiadores. Esse valor geralmente é mais alto e você não terá retorno desse dinheiro.

É importante procurar um imóvel com uma imobiliária de confiança. Alugar diretamente do proprietário pode significar muitas dores de cabeça na negociação, processo que será completamente intermediado pela imobiliária caso você opte por contar com os serviços de uma.

Todo e qualquer problema poderá ser comunicado para a imobiliária, que fará a ponte com o locador. Além disso, ela é responsável por enviar mensalmente os boletos do aluguel, facilitando para que você faça o pagamento diretamente no banco da sua preferência.

Para quem deseja comprar um imóvel

Você quer ter seu próprio patrimônio, mas antes de decidir se deve construir ou comprar, certifique sua situação: você precisa se mudar imediatamente ou tem tempo para isso? Caso precise mudar com urgência, já poderá riscar a construção da sua lista. Porém, se você está aberto aos dois cenários, vale avaliar com critério as vantagens e desvantagens de cada um.

Vantagens de comprar um imóvel

Comprar seu imóvel já pronto tem como principal vantagem a rapidez com que você poderá usufruir o bem. Ao contrário de quem opta por construir, comprando um imóvel é possível se mudar imediatamente para o local.

Comprar uma casa também se destaca pela praticidade. Você já terá um imóvel pronto que não vai demandar tanta energia no processo de aquisição.

Outro ponto positivo para muitas pessoas é não ter que lidar com o desgaste inerente de uma obra. Já falamos que lidar com uma construção é um processo complexo, e quem já construiu sabe bem que gerenciar a mão de obra e lidar com imprevistos — que sempre acontecem — pode ser um pouco complicado.

Sejam as chuvas ou a impossibilidade técnica de realizar algum detalhe específico do projeto, é preciso muita paciência e jogo de cintura para lidar com tudo isso. Haja disposição! Já quem compra definitivamente não sofre com isso.

Outro destaque é que o fato de estar diante de um imóvel pronto permite que você possa avaliar todos os detalhes sem ter as surpresas de quem decide construir — se os acabamentos serão ou não do seu agrado, se a parte elétrica e hidráulica está ok ou apresenta problemas e se tudo na casa está funcionando ou precisa de reparos, de acordo com as suas necessidades.

Se o imóvel não atende esses requisitos, não há problemas: procure outro! Outras vantagens da compra são as facilidades de financiamento. Apesar da tendência de expansão do financiamento para construção, o mercado financeiro é mais aberto para o financiamento da compra.

As condições costumam ser melhores e os processos, mais simples. E se você tem recursos próprios, melhor ainda: seu poder de negociação é alto e isso representa melhores preços por comprar à vista!

Desvantagens de comprar um imóvel

Como dissemos acima, construir pode ser até 30% mais barato do que comprar. E essa é a primeira desvantagem de quem opta por essa opção. Estudos apontam que, nos últimos 5 anos, o Brasil é o país que teve a maior valorização de imóveis em todo o mundo, girando em torno de 120%.

Nessa mesma pesquisa, porém, também foi registrada uma queda nessa valorização, ou seja, nos últimos tempos ela está desacelerando, deixando o jogo mais favorável para quem vende do que para quem compra.

Também é necessário ficar atento, pois provavelmente o imóvel pronto precisará de reformas e você deve acrescentar essas despesas a mais ao seu planejamento. O que não ocorre quando você escolhe construir um imóvel, pois ele não precisará de reformas tão cedo e estará de acordo com as suas necessidades.

A questão da documentação do local que você deseja comprar pode ser outro problema. Além das burocracias que envolvem todo o processo, especialmente quando o imóvel tem dívidas, hipotecas ou mesmo aqueles que têm mais de um proprietário ou são parte de um inventário, os encargos de escrituração ficam totalmente para o comprador e não costumam ser baratos. Antes de comprar, analise todos esses detalhes.

Além disso tudo, muitas vezes, quando optamos por comprar um imóvel pronto, ao fazermos a pesquisa achamos uma casa ideal, contendo todos os itens que consideramos essenciais, porém a localização dela não nos agrada ou enfrentamos dificuldade para encontrar algo que valha a pena na localização ideal, causando certa frustração durante o processo.

Para quem é indicado

A compra é indicada para quem possui urgência de mudar, quer ter um patrimônio próprio e possui uma quantia razoável para dar de entrada em um financiamento ou fazer a compra à vista.

Como começar

O mercado imobiliário é bastante rico e oferece boas opções para todos os gostos. O segredo é saber procurar! Aqui, o auxílio de um bom corretor é essencial e pode salvar você de problemas.

Assim como no aluguel, o primeiro passo é pesquisar. Como esse é um bem de maior valor, para quem pretende morar no longo prazo, a pesquisa deve ser mais minuciosa e pode demorar um pouco mais de tempo.

Avalie todos os aspectos do imóvel! Localização e vizinhança, para não ter problemas com vizinhos chatos no futuro, conforto e segurança, já que os grandes centros estão crescendo bem como a violência urbana, as instalações da casa para não ter surpresas com possíveis reformas e, claro, a documentação para o financiamento.

Um imóvel pronto pode conquistar você por seu acabamento impecável, mas pode ser uma verdadeira bomba relógio prestes a explodir. Problemas não visíveis, como cupins, insetos, paredes com infiltração ou mofadas devem ser sempre considerados.

Verifique todos esses aspectos com o vendedor antes da compra e faça uma vistoria detalhada com profissionais capacitados para isso. Evite surpresas desagradáveis!

As melhores condições de financiamento estão na Caixa Econômica Federal, devido ao subsídio que o Governo Federal fornece para essa opção de crédito. Para financiar na CEF, é preciso estar atento a alguns itens:

  • o valor de avaliação do imóvel não poderá ultrapassar R$ 950 mil se esse estiver localizado nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Nos demais estados, esse valor máximo deve ser de R$ 800 mil;

  • a concessão do financiamento chegará no máximo a 80% do valor do de avaliação do imóvel, ou seja, se seu imóvel está no limite de R$ 950 mil, o máximo que você conseguirá financiar será R$ 760 mil;

  • o valor mensal das parcelas não poderá comprometer mais do que 30% da renda bruta do contratante. Lembrando que é possível somar a renda familiar para aplicar ao financiamento;

  • o prazo máximo de quitação da dívida é de 35 anos, ou 420 meses;

  • o contratante deve ser, exclusivamente, pessoa física;

  • a taxa de juros chega no teto máximo de 12% a.a.

Quanto à documentação, existem mais especificações. A chamada certidão vintenária com negativa de ônus atualizada é provida pelo cartório de registro de imóveis responsável e fornece informações sobre os últimos 20 anos do imóvel, tais como hipoteca, pendências judiciais e titularidade.

Além disso, é essencial pedir todas as certidões do vendedor antes da compra, a fim de checar se ele não possui nenhuma dívida que possa comprometer o negócio ou alguma ação judicial ou criminal em andamento.

Fique atento ao contrato de compra e venda: ele deve ser redigido de forma clara e objetiva. Leia atentamente todo o documento antes de assinar e não deixe nenhuma dúvida pra trás. Caso ainda tenha alguma, procure o corretor responsável pela transação.

Todas as estipulações das propostas e tudo que foi acertado verbalmente deve constar no contrato, que também deve conter dados pessoais do proprietário e do comprador, descrição do imóvel e valor da negociação, além de entrega das chaves e forma de pagamento. No pagamento à vista, é indispensável solicitar a lavratura da escritura definitiva.

Caso esteja financiando, alguns outros cuidados se tornam necessários, tais como: índice de reajuste, penalidade de atraso no pagamento das parcelas, valor do sinal antecipado e condições previstas em uma eventual rescisão. Assine todas as páginas do contrato sem deixar nenhum dado em branco e não deixe de registrá-lo em cartório.

O mercado imobiliário é cheio de detalhes para quem não está acostumado a lidar com ele, e tomar uma decisão certa pode ser um pouco trabalhoso se você não se informar bem. Muita gente sonha com a casa perfeita, mas para chegar até lá, você deverá se planejar e ter disciplina para fazer as melhores escolhas e conquistar o empreendimento ideal para suas necessidades.

Conhecer bem cada detalhe das alternativas disponíveis, os tipos de financiamento e a documentação necessária em cada uma delas é primordial para que a escolha do seu imóvel seja segura e sem problemas.

Uma ótima saída é contar a ajuda de um profissional do ramo para orientar em todos os processos e fornecer a melhor base para que você tome a melhor decisão para sua família.

Curtiu nossas dicas? Está pronto para se decidir e dar os primeiros passos na conquista do imóvel ideal? Então compartilhe este post nas redes sociais e ajude seus amigos a descobrirem também se devem construir, comprar ou alugar um imóvel!

Todas as Noticias

6 cuidados ao negociar imóveis diretamente com o proprietário

Como o mercado imobiliário brasileiro é altamente valorizado, muitas pessoas buscam formas diferentes de pagar menos na hora de adquirir ou alugar uma propriedade. Uma das maneira de fazer isso é tentando negociar imóveis diretamente com o proprietário.

Em um primeiro momento, essa estratégia pode parecer vantajosa, pois elimina a intermediação de terceiros e, consequentemente, o pagamento de taxas. No entanto, é preciso tomar diversos cuidados para que essa vantagem não acabe virando uma tremenda dor de cabeça no futuro.

Para saber como se proteger de eventuais situações problemáticas, confira algumas dicas que preparamos a seguir:

1. Pesquise bem o mercado

O primeiro dos cuidados ao negociar imóveis diretamente com o proprietário é justamente fazer uma boa pesquisa de mercado, para garantir que você não acabe comprando “gato por lebre”.

Ao se informar melhor sobre o setor e suas características, você pode ter mais embasamento para saber se a precificação está adequada, por exemplo. Muitos proprietários acabam avaliando seu bem considerando fatores emocionais ou simplesmente observando quanto os vizinhos e outros donos estão pedindo.

É fundamental enquadrar o preço na realidade da cidade, do bairro, da rua, das características da unidade, do condomínio e de outros itens cruciais. Para não ficar para trás, pesquise esses fatores antes da negociação.

2. Verifique a documentação do imóvel

O segundo item é a verificação da documentação do imóvel, o que pode ser mais complicado do que se imagina. Dificilmente uma pessoa leiga é capaz de solicitar e analisar toda a papelada que torna uma propriedade regularizada, pois são vários tipos de declarações.

Além de muitos dos documentos serem de difícil entendimento para quem não é da área, ainda há a questão da autenticidade. Lembre-se de que o Brasil possui um grande número de falsários, que podem aplicar um golpe.

Algumas das avaliações que você não pode deixar de fazer são a da Certidão de Registro de Imóveis (indica se a pessoa com quem você está negociando é efetivamente a dona da unidade), Certidões Negativa da Justiça Federal, de Distribuidor Cível e de Distribuidor Trabalhista (prova que não existem dívidas ou processos), histórico do IPTU e do condomínio (mostram que essas despesas estão em dia).

Lembre-se de que eventuais débitos ou dívidas podem ser considerados como inerentes ao próprio imóvel. Dessa maneira, se você finalizar a transação e fizer a compra, será o novo responsável por quitá-las.

3. Faça uma vistoria bem minuciosa

Como você está comprando diretamente com o proprietário, fazer uma vistoria minuciosa é essencial para evitar a descoberta de problemas ou vícios ocultos no imóvel, mesmo que ele seja moderno, depois da compra.

Quando você conta com a ajuda de uma imobiliária especializada, por exemplo, é o profissional recrutado pela empresa que será responsável por isso. Aqui, é você que precisa fazer tudo.

Comece com a parte hidráulica e abra todas as torneiras, verificando atentamente a pressão da água. Observe muito bem os ambientes dos banheiros e da cozinha, para verificar a presença de infiltrações, vazamentos ou de mofo.

Pisos estufados, azulejos descolando e a existência de manchas também são fatores preocupantes em uma casa ou apartamento.

Depois disso, é o momento de partir para o sistema elétrico. Acenda as luzes e verifique se todas as tomadas estão funcionando adequadamente ou se estão com algum tipo de fuligem, pois isso pode indicar que ocorreu um curto-circuito anteriormente.

Por fim, veja também o estado do quadro de energia e analise se ele é moderno ou se precisa de uma atualização.

4. Procure conversar com os moradores

Conversar com as pessoas que realmente conhecem a região é outro cuidado necessário ao negociar imóveis diretamente com o proprietário. Seus vizinhos em potencial, por exemplo, provavelmente vivem no bairro há anos, sendo perfeitos para indicar quais são os pontos positivos e negativos do local.

Busque questionar, por exemplo, fatores como o policiamento, a criminalidade e a movimentação. É interessante também perguntar sobre o atendimento dos serviços básicos e a existência de algumas facilidades. De quebra, você começa a perceber qual é o perfil dos habitantes e vê se você se encaixa naquele estilo de vida.

Outras pessoas que podem contribuir muito são os profissionais que trabalham por ali, como porteiros, seguranças e síndicos. Se for possível, tente um papo descontraído com eles e ouça atentamente suas dicas e conselhos, pois eles certamente sabem do que estão falando.

5. Visite o local em horários diferentes

Visitar o local em horários diferentes também é uma dica interessante. Muitas pessoas caem na tentação de confiar demais nos anúncios e fotografias ou de fazer uma proposta logo depois de visitar o imóvel uma única vez.

No entanto, especialmente quando você está fazendo negócio sem a ajuda de um profissional, isso costuma ser um erro grave.

O ideal mesmo é ir diversas vezes, em horários distintos. Dessa forma, você sabe se a unidade pega o sol da manhã ou da tarde, se é fresca ou quente, se a ventilação é adequada e, ainda, se é silenciosa ou barulhenta.

Fazer uma visita no final de semana ou em feriados também contribui para ver se o bairro fica deserto fora dos horários comerciais ou se é seguro para você e sua família.

6. Saiba com quem está fazendo o negócio

Por fim, como você está comprando diretamente com o proprietário, é imprescindível saber efetivamente com quem está fazendo negócio.

Pegue o nome do vendedor e use a internet ao seu favor, utilizando os serviços de busca para verificar se ele possui processos ou pendências que podem depor contra a sua idoneidade.

Quem está envolvido em processos de falência ou possui dívidas, por exemplo, pode ter o seu patrimônio envolvido em penhoras para o pagamento desses débitos. Isso pode representar uma bela dor de cabeça para quem adquirir uma propriedade dessa pessoa.

Esses são alguns cuidados que devem ser tomados ao fazer negócio sem o intermédio de um profissional da área! Invariavelmente, contar com a ajuda de uma empresa especializada no ramo traz muito mais segurança e dinâmica para esse tipo de negociação.

Ficou interessado em saber mais sobre os benefícios da ajuda especializada? Então entre em contato com a Loopimóveis e não corra os riscos de negociar imóveis diretamente com o proprietário!

Decoração, Todas as Noticias

Teto colorido: um jeito diferente de inovar o ambiente

Quando falamos em pintar a casa, é comum associarmos à ideia de paredes coloridas ou até mesmo pensarmos em móveis e objetos de decoração diferentes e coloridos. O teto, por sua vez, raramente recebe a mesma atenção.

Porém, com a tendência dos espaços cada vez mais reduzidos, arquitetos e decoradores já recomendam um olhar diferente para o teto. E não é à toa, afinal, se as cores são uma ótima saída para escapar da rotina, por que com o teto seria diferente?

Quem quiser apostar na novidade, confira algumas dicas:

A escolha dos contrastes
Se o teto escolhido irá receber uma cor mais forte, utilize nas paredes do ambiente tons mais neutros e pastéis. O contrário também é válido: se as paredes terão uma cor mais chamativa, mantenha o teto com uma tonalidade neutra.

Além de modernidade, essa combinação nos contrastes pode dar diferentes efeitos: se o local a ser pintado for pequeno, pintar o teto com uma cor mais forte passa a sensação de ser menor ainda. Caso o cômodo seja maior, cores mais fortes e alegres são recomendadas.

Combinação de móveis e objetos
É importante pensar no ambiente como um todo, portanto para escolher a cor ideal para o teto, tenha em mente quais serão os objetos, mobiliário e iluminação que formarão a composição do espaço desejado. Harmonia é fundamental para manter o ambiente aconchegante.

Veja a transformação de alguns ambientes que optaram por deixar o teto diferente:

Teto-Colorido3

O teto verde nessa cozinha remete ao frescor e à saúde, e harmoniza com os móveis brancos e louça prata.

Teto-Colorido1

Esse teto roxo é um charme – um pequeno detalhe que quebrou a seriedade do ambiente e deu uma cara completamente diferente.

Teto-Colorido4

Mesmo em cores diferentes, o teto e as paredes em tons pastéis mantiveram a harmonia, e a combinação deixou esse quarto com cara de aconchego.

Teto-Colorido2

Sensação de tranquilidade com esse teto remetendo ao céu e as almofadas em tons terrosos.

Notícias Imobiliárias, Todas as Noticias

Conheça os índices para a correção monetária dos valores contratuais do mercado imobiliário

Para acompanhar o ritmo da economia e reajustar o valor que será pago na renovação contratual, de maneira justa para ambas as partes, são utilizados índices de correção monetária.

indices-correcao_blog

É uma maneira de verificar as oscilações da moeda durante o período de vigência do contrato, conseguindo assim equilibrar as contas. Cada setor costuma ter seu próprio índice, medindo as variações de preço considerando os produtos e/ou serviços que afetam o segmento. No ramo da construção civil, as oscilações de preço consideradas são referentes aos materiais de construção e a mão de obra.

Conheça quais e o que são esses índices utilizados no mercado imobiliário:

Custo Básico da Construção Civil – CUB

Utilizado para contratos de imóveis que estão em fase de construção, é um índice calculado mensalmente pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil, que visa apresentar o custo global da obra em cumprimento à lei de incorporação de edificações habitacionais em condomínio.

Para chegar ao valor de referência mensal, são considerados os custos dos materiais de construção, dos equipamentos, da mão de obra e das despesas administrativas.

Índice Nacional da Construção Civil – INCC

Realizado pela Fundação Getúlio Vargas, geralmente é o mais utilizado em contratos de compra de imóveis em construção e foi pioneiro em medir as oscilações de custo da construção civil.

Atualmente, a coleta de dados é feita em apenas 7 capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília.

Índice Geral de Preços – Mercado – IGP-M

Também realizado pela FGV, é utilizado para corrigir as parcelas após a emissão do “Habite-se” – documento que autoriza o empreendimento para habitação.

É composto pela junção de três fatores: Índice de Preços por Atacado – Mercado (IPA-M), pelo Índice de Preços ao Consumidor – Mercado (IPC-M) e pelo Índice Nacional do Custo da Construção – Mercado (INCC-M), com pesos de 60%, 30% e 10%, respectivamente.

A dica é se prevenir, antes de fechar negócio, e questionar qual índice será utilizado em seu contrato, tendo em mente que as parcelas serão atualizadas ao longo do período. Em resumo, durante o período de obras utiliza-se o CUB ou INCC para atualizar o valor das parcelas. Após a emissão do “Habite-se”, o IGP-M passa a ser utilizado.

Fonte: Click Habitação

Notícias Imobiliárias, Todas as Noticias

Precisa alugar um imóvel e não tem fiador? Tudo bem, você tem outras opções

E lá está você, se mudando para uma nova cidade. Novos ares, nova arquitetura, opções diferentes de lazer e pessoas novas. Você não sabe se irá se adaptar, então prefere alugar um imóvel por um tempo pra ver como as coisas vão se desenrolar.

aluguel-outras-opcoes_blog

É aí que surge a primeira dificuldade: para alugar um imóvel você precisará oferecer garantias ao proprietário. Por ser considerada segura, a opção preferida nessa hora é o fiador, ou seja, uma pessoa, geralmente dona de imóvel na mesma cidade, que se prontifique a assumir a sua dívida caso você não consiga pagar.

Mas, se você não conhece ninguém de confiança nesse mundo novo, essa opção não é pra você.

Então, o que fazer? Conheça as opções:

SEGURO-FIANÇA
Um levantamento feito pelo Secovi-SP registrou um aumento de 5,4% no número de contratos fechados com seguro-fiança, entre 2007 e 2013. Ou seja, tem se tornado uma prática cada vez mais comum.

Para o proprietário, o bom do seguro-fiança é que a seguradora começa a pagar o aluguel imediatamente. Nas outras opções, ele só recebe depois do despejo, quando é o caso. Já para o locatário, nem sempre essa é a melhor opção, pois o seguro custa mais ou menos entre um aluguel e um aluguel e meio por ano – detalhe – sem devolução após o término do contrato.

DEPÓSITO CAUÇÃO
Aqui, estamos falando de garantia com base em um valor acordado, que costuma ser de três aluguéis, depositados em uma poupança conjunta. Só é possível mexer nesse dinheiro com autorização de locatário e locador, ou por determinação da Justiça.

Para o proprietário, não é muita vantagem pois em caso de inadimplência do locatário, o dinheiro demora a ser sacado, levando em média, um ano. Para você que está alugando o imóvel, porém, é uma opção mais confortável, uma vez que, além de mobilizar menos recursos (o valor de até três aluguéis é determinado por lei), você poderá reaver o dinheiro, com a correção da poupança, no fim do contrato.
Claro que, além dessas opções, utilizar o bom e velho diálogo com o corretor ou imobiliária é sempre bom, podendo negociar termos que facilitem a sua estadia.

E depois, é só desfrutar da sua cidade nova. 😉

 

Fonte: UOL Economia

Decoração, Todas as Noticias

Prático e bonito, o jardim suspenso é uma ótima opção para harmonizar ambientes

Muito comum em varandas de apartamentos e até mesmo em paredes e corredores internos da casa, o jardim suspenso ou vertical é uma maneira prática e acessível de cultivar flores e plantas, além de deixar o ambiente um charme.

Ideal para quem quer arejar a casa com um toque de verde, as aplicações são inúmeras e criativas, podendo ser instalado na parede ou suspenso por cordas presas ao teto. O importante é soltar a imaginação e contar com um cantinho mais agradável na casa.

Veja algumas ideias:

Paletes e caixotes

jardim-vertical-01_Palets-e-caixotes_fonte-reforma-blog

Blocos de concreto

jardim-vertical-02_Blocos-de-concreto_fonte-ApartmentTherapy

Garrafas pet

jardim-vertical-03_Garrafas-pet_fonte-Rosenbaum

Latas

jardim-vertical-04_Latas_fonte-Stefanie-Maria

Escada antiga

jardim-vertical-07_Escada-antiga_fonte-Small-Town-Rambler

Prateleiras suspensas

jardim-vertical-08_Prateleiras-suspensas_fonte-Survival-Life

Canos de PVC

jardim-vertical-09_-CanosPVC_fonte-Autossustentável

Já escolheu qual das ideias combina mais com o seu espaço? Então mãos à obra para montar o seu jardim suspenso! 😉

Notícias Imobiliárias, Qualidade Vida, Todas as Noticias

Perfil do consumidor de imóveis moderno

Procurar um lar é uma etapa fundamental na vida de todos. No entanto, a busca pelo imóvel ideal, seja para alugar ou para comprar, envolve muita pesquisa e um ciclo de compra complexo. Para manter-se competitivo nesse mercado em constante evolução, é imprescindível conhecer bem o seu público e compreender as principais mudanças no cenário de consumo de imóveis.

key-lock-door

As principais dificuldades do consumidor são:

-Não saber comprar;
-Não ter clareza do preço;
-Falta de atenção do corretor;
-Falta de endereços, referências e outras informações;
-Depender de outros (marido, esposa, proprietário).

Dentre as principais motivações para a busca por um imóvel começar, podemos considerar dois públicos: os casados e os solteiros. Normalmente, os casados procuram ter uma moradia própria para construir família após o casamento e próxima ao trabalho. Os solteiros, buscam independência, mais espaço, sossego e lazer na casa própria.

Muitos fatores influenciam para a escolha do imóvel ideal na hora da compra. Pesquisas indicam que 85% priorizam o preço, 81% a localização, enquanto 53% se preocupam mais com as condições de pagamento.

shutterstock_15527146

Além destes aspectos básicos que fazem a diferença, hoje a internet faz parte da vida de praticamente todas as pessoas. Por isso, estar conectado é essencial para conseguir atingi-las. 77% do público está no Facebook e 98% possuem WhatsApp. Em tempos modernos e de crise, é preciso atualizar a comunicação para aumentar os retornos.

Quer saber mais sobre o perfil de quem busca imóveis no Alto Tietê nos dias de hoje?
Fale com quem entende do assunto, entre em contato com o portal Loopimóveis.com

Tel.: (11) 2645-1730
Cel.: (11) 97384-2597
E-mail: [email protected]